Pesquisar este blog

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

DISAUTONOMIA DIABÉTICA

Disautonomia diabética corresponde à lesão dos nervos dos órgãos internos pelo diabetes. Em consequência disso, surgem diversos sintomas que comprometem seriamente a qualidade de vida dos pacientes diabéticos. As disautonomias são muito comuns em pacientes diabéticos que permanecem sem controle adequado da glicose por vários anos. Na grande maioria dos casos não existe cura, principalmente quando os pacientes demoram muito a procurar avaliação especializada. Existem diversos tratamentos que podem reduzir os sintomas dos pacientes, melhorando a qualidade de vida. A prevenção das disautonomias se faz pelo bom controle do diabetes e de todo o metabolismo. Os principais tipos de disautonomias e seus sintomas são listados a seguir.
DISAUTONOMIA CARDIOVASCULAR: decorrente do dano dos nervos do coração e vasos sanguineos, está entre as mais frequentes e graves disautonomias. O paciente geralmente queixa de palpitações, falta de ar e tonturas frequentes. O coração fica acelerado constantemente e é muito comum ocorrerem quedas de pressão arterial quando o paciente passa da posição deitado para sentado ou em pé. Essas quedas de pressão (HIPOTENSÃO ARTERIAL ORTOSTÁTICA) podem ser muito bruscas, provocando desmaios e convulsão. Outra séria consequência da disautonomia cardíaca é que os pacientes perdem a capacidade de sentirem dor quando um infarto está começando, provocando os chamados infartos silenciosos.
DISAUTONOMIA GASTROINTESTINAL: quando o diabetes danifica os nervos do estômago, esôfago e intestinos, a qualidade de vida do paciente diabético fica seriamente comprometida. O paciente geralmente se queixa episódios de diarreia que duram vários dias, seguidos de um período de constipação intestinal que também dura vários dias. São comuns as queixas de sensação de saciedade exagerada ao se alimentar (“empachamento”), refluxo gastro-esofágico, dificuldades para engolir e falta de apetite.
DISAUTONOMIA GENITOURINÁRIA: ocorre quando envolve os nervos dos órgãos genitais e das vias urinárias. Problemas sexuais (impotência, ressecamente vaginal), dor ao urinar sem infecção associada, sensação constante de bexiga cheia e infecções urinárias frequentes são os principais sintomas.
DISAUTONOMIA DA SUDORESE: uma queixa curiosa de alguns pacientes diabéticos é a de apresentarem sudorese excessiva após se alimentarem. Esta disautonomia, chamada de “SUDORESE GUSTATÓRIA”, ocorre quando as glândulas de suor nos membros inferiores e na metade inferior do tronco ficam comprometidos, havendo falta de suor abaixo do umbigo e nos membros inferiores (anidrose). Para compensar essa falta de suor na parte de baixo do corpo, ocorre um aumento da sudorese (hiperidrose) na cabeça, pescoço e membros superiores, que piora durante as grandes refeições como almoço e jantar. Essa sudorese excessiva na cabeça e membros superiores costuma ser tão intensa que alguns pacientes passam a ter vergonha de saírem na rua, se alimentar em público ou até mesmo de pegar na mão de outras pessoas, por causa da sudorese exagerada.
DISAUTONOMIA OCULAR: o comprometimento dos nervos da musculatura dos olhos provoca a perda da capacidade de ajuste da visão. As pupilas costumam ficar dilatadas exageradamente. Os pacientes se queixam de visão embaçada principalmente à noite.
Dr. Tarcísio Narcísio Silva - Médico Endocrinologista e Metabologista

Nenhum comentário:

Postar um comentário