Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 28 de abril de 2012

DOR NOS TESTÍCULOS

Todo mundo que já jogou bola deve ter levado no mínimo uma bolada “lá”, e sabe que a dor é intensa e não deixa você ver nem pensar nada, tudo que você quer fazer é se encolher e esperar uma passagem de volta para a vida. O que você talvez não sabia é que pode morrer por causa desta dor (talvez não sabia, mas com certeza desconfiava).
Uma notícia que circulou na Internet nesta sexta-feira dá conta de uma história inusitada: em uma discussão — por causa de vaga de estacionamento na frente de uma loja na China — um homem e uma mulher começaram a trocar golpes. Em seguida dois parentes dela se intrometeram e ela passou a agarrar as “jóias da família” do homem, e apertar com força por um bom tempo. O homem caiu no chão, desmaiou, e em seguida estava morto. A equipe de emergência que chegou no local pouco depois tentou ressuscitá-lo, sem sucesso.
Se as mulheres ainda tinham dúvidas do quão doloroso pode ser um golpe nas “partes baixas” masculinas agora já tem uma confirmação. Segundo o urologista de San Diego, EUA, o dr. Irwin Goldstein, é, sim, possível morrer se alguém apertar seus testículos com força suficiente. Segundo o doutor, os testículos são extremamente sensíveis ao toque e há uma liberação excessiva de adrenalina se for aplicada força excessiva nos mesmos.
A dor testicular é referida ao baixo abdômen, o plexo mesentérico, e faz com que o homem pare abruptamente tudo que ele estiver fazendo, deite no chão, feche os olhos e se encolha em posição fetal.
É bastante possível que um ataque cardíaco resulte da terrível dor nos testículos ao serem apertados.
No caso do chinês, ainda não dá para dizer com certeza do que exatamente ele morreu, é bem possível que ele fosse portador de alguma condição cardíaca e o choque da dor e da adrenalina dispararam um ataque cardíaco, mas enquanto não sai a certidão de óbito, metade da humanidade está nervosa enquanto a outra metade está treinando as mãos neste exato momento… [Gizmodo]

Nenhum comentário:

Postar um comentário