Pesquisar este blog

terça-feira, 23 de julho de 2013

ORAÇÃO DA VOVÓ



FONTE: internet (autoria desconhecida, por enquanto).
Enviada por Fernanda (grávida) à Vovó Zezé.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

THESSALONIKI: UM POUCO MAIS

CATEGORIA 60+  VICE-CAMPEÃ MUNDIAL
12TH FIMBA MAXIBASKETBALL CHAMPIONSHIP - THESSALONIKI 2013 - GRÉCIA
Iran, Urbano, Porcão, Barroco, Paulino Esteves, Otávio,Carrilho, Carioquinha,
Nogueira, Flávio, Joni, João Barba, Decito e Vinagrinho. (esquerda para a direita)

AM
Ciclovia - Golfo Termaico

Grupo da equipe 60+

Grupo da equipe 60+


EQUIPE 60+  JOGO "BRASIL 71  x  44 GRÉCIA"

GOLFO TERMAICO

JONI COM MENINAS BÚLGARAS QUE GANHA A VIDA TOCANDO UM PEQUENO ACORDEON
IGREJA AGIA SOFIA
IGREJA AGIA SOFIA (basqueteiro Paulinho Esteves em recolhimento)  
AFRESCO DE MILHARES DE ANO - HOTEL CAPSIS
FACHADA DO MERCADO MUNICIPAL: MODIANO MARKET
PASSEIO  DE BARCO NO GOLFO TERMAICO, WHITE TOWER  AO FUNDO
GINÁSIO DE ESPORTES MUNICIPAL (ALEXANDRION)
FESTA DE CONFRATERNIZAÇÃO (GRUPO DE AMIGOS BRASILEIROS)
CENTRO COMERCIAL e de LAZER DA CIDADE: DIKASTIRION SQUARE
















P.S.-Estou em trânsito: quando der tempo, coloco referências.

domingo, 21 de julho de 2013

VACINA PROMISSORA: COCAÍNA e CRACK

Grande novidade: uma vacina que pode 

impedir a ação da cocaína e do crack

Sucesso em testes de vacina contra cocaína nos testes em animais (Imagem: Mooganic)
Sucesso em testes de vacina contra cocaína nos testes em animais (Imagem: Mooganic)
Nota de Marcos Ricardo dos Santos, publicada em edição impressa da revista Superinteressante
VACINA IMPEDE AÇÃO DA COCAÍNA E DO CRACK
Substância instrui o sistema imunológico do dependente a atacar as moléculas de droga; tratamento obteve sucesso em macacos e será testado em humanos
Cientistas americanos anunciaram a criação de algo que pode revolucionar as políticas de combate a drogas: uma vacina capaz de anular o efeito da cocaína e do crack. Ela foi desenvolvida pela Faculdade de Medicina Weill Cornell, em Nova York, e já foi testada com sucesso em ratos e macacos.
Os pesquisadores manipularam o vírus que causa gripe comum – ele foi acoplado a uma molécula artificial, criada em laboratório, que tem exatamente o mesmo formato da molécula de cocaína. Em seguida, esse vírus foi injetado em cobaias.
E algo incrível ocorreu: o sistema imunológico dos animais criou defesa contra a molécula.
A partir daí, se o animal consumisse cocaína, ela era destruída pelo organismo. Não chegava ao cérebro, e portanto não produzia efeito.
“Nós ensinamos o organismo a ver a molécula de cocaína como intrusa”, explica o geneticista Ronald Crystal, líder do estudo. A vacina também funciona contra o crack.
Ela não causou efeitos colaterais, mas mostrou ter duração limitada: 13 semanas em ratos e sete em macacos. Não se sabe por quanto tempo se manterá eficaz em humanos (os testes em pessoas começarão em 2014).
Além disso, a vacina não elimina a dependência química e psíquica – o dependente sente falta da droga e continua tendo vontade de consumi-la. A diferença é que, se ele fizer isso, não obterá efeito. Por isso, a vacina não dispensa o acompanhamento psicológico. Mas poderá ser de grande ajuda para quem luta contra o vício.

CAMPEONATO MUNDIAL DE BASQUETE - THESSALONIKI - GRÉCIA 2013: BRASIL 60+ VICE-CAMPEÃO MUNDIAL








quinta-feira, 18 de julho de 2013

PARA BOM ENTENDEDOR...


FONTE: INTERNET (AUTORIA DESCONHECIDA, POR ENQUANTO)

APOSENTADORIA e RISCOS DE DEMÊNCIA

Um estudo francês apresentado na Conferência Internacional da Associação de Alzheimer (AAIC) 2013 associa a idade mais avançada na época da aposentadoria a um risco reduzido de desenvolver demência.
Evidências sugerem que o envolvimento em atividades intelectualmente estimulantes ao longo da vida pode proteger contra o desenvolvimento da doença de Alzheimer e outros tipos de demências. A atividade profissional pode ser um determinante importante da atividade mental.
No entanto, "muitos poucos estudos analisaram a idade na época da aposentadoria e o risco de demência", disse a coordenadora da análise, Dra. Carole Dufouil, PhD, diretora de pesquisa em neuroepidemiologia no INSERM, da Escola de Saúde Pública de Bordeaux, na França. Estas novas descobertas ressaltam a "importância de manter altos níveis de estimulação cognitiva e social por meio do trabalho e da vida do aposentado", afirma a Dra. Dufouil.
Nesta pesquisa foram avaliados dados de saúde e aposentadoria de 429.803 trabalhadores independentes que viviam na França e se aposentaram em 31 de dezembro de 2010. De acordo com os resultados do estudo, para cada ano a mais de idade no momento da aposentadoria, o risco de demência foi 3,2% inferior. Durante a AAIC 2013, Dufouil informou que "na amostra, todos os outros fatores de risco eram iguais. E aqueles que se aposentaram aos 65 anos de idade tiveram um risco 14,6% menor de desenvolver demência do que aqueles que se aposentaram aos 60 anos de idade".
Mesmo após a exclusão de trabalhadores com demência diagnosticada dentro de cinco anos após a aposentadoria, os resultados permaneceram inalterados e altamente significativos (P<0 p="">
O estudo foi financiado pelo Centro Internacional de Longevidade da França e apresentado oralmente na Conferência Internacional da Associação Alzheimer (AAIC) 2013. Os autores não declararam relações financeiras relevantes.
NEWS.MED.BR, 2013. Aposentadoria mais tardia reduz risco de demência, segundo estudo francês apresentado na Conferência Internacional da Associação de Alzheimer 2013. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2013.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

TDAH : teste para facilitar diagnóstico (NEBA SYSTEM)

FDA permite comercialização do primeiro teste de ondas cerebrais para ajudar a avaliar crianças e adolescentes com Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH)
Food and Drug Administration (FDA) permitiu a comercialização nos EUA do primeiro dispositivo médico com base na função cerebral para ajudar a avaliar o transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) em crianças e adolescentes com idades entre 6 e 17 anos. Quando usado como parte de um exame médico e psicológico completo, o dispositivo pode ajudar a confirmar o diagnóstico de TDAH ou a decisão clínica de que testes diagnósticos futuros devem se concentrar no TDAH ou em outras condições médicas ou comportamentais que produzam sintomas semelhantes aos do TDAH.
O dispositivo, conhecido como Neuropsychiatric EEG-Based Assessment Aid (NEBA) System, é baseado no eletroencefalograma (EEG), tecnologia que registra diferentes tipos de impulsos elétricos (ondas) emitidos pelos neurônios (células nervosas) no cérebro e o número de vezes (frequência) que os impulsos aparecem a cada segundo.
NEBA System é um teste não-invasivo que dura de 15 a 20 minutos e calcula o índice entre duas frequências de ondas cerebrais normais, conhecidas como ondas teta e beta. Estudos têm demonstrado que o índice teta/beta parece ser mais elevado em crianças e adolescentes com TDAH que em crianças que não têm a doença.
"O diagnóstico de TDAH é um processo que segue várias etapas com base em um exame médico e psiquiátrico completo", disse Christy Foreman, diretora do Office of Device Evaluation do FDA’s Center for Devices and Radiological Health. "O NEBA System, junto com outras informações clínicas, pode ajudar os médicos a determinar com mais precisão se o TDAH é a causa de um problema comportamental", completa.
O TDAH é um dos transtornos neurocomportamentais mais comuns na infância. Segundo a American Psychiatric Association, 9% dos adolescentes dos EUA têm TDAH e a idade média do diagnóstico é de 7 anos de idade. Crianças com TDAH têm dificuldade de focar a atenção, apresentam hiperatividade, impulsividade e outros problemas comportamentais. Este transtorno ocorre em 3 a 5% das crianças em várias das regiões do mundo em que já foi pesquisado. Em mais da metade dos casos o transtorno acompanha o indivíduo na vida adulta, embora os sintomas de inquietude sejam mais brandos.
NEWS.MED.BR, 2013. FDA permite comercialização do primeiro teste de ondas cerebrais para ajudar a avaliar crianças e adolescentes com Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH). Disponível em: . Acesso em: 17 jul. 2013.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

CÂNCER DE PRÓSTATA e o ÔMEGA 3

Estudo confirma ligação entre altos níveis de ácidos graxos ômega-3 e aumento de até 71% no risco de desenvolver câncer de próstata agressivo
Um segundo grande estudo prospectivo, realizado por cientistas do Fred Hutchinson Cancer Research Center confirmou a ligação entre altas concentrações sanguíneas de ácidos graxos ômega-3 e um risco aumentado de câncer de próstata.
Os resultados indicam que altas concentrações de EPA, DPA e DHA - os três ácidos graxos anti-inflamatórios e metabolicamente derivados de peixes gordos e dos suplementos de óleo de peixe, estão associados com um aumento de 71% do risco de câncer de próstata de alto grau. O estudo também constatou um aumento de 44% no risco de câncer de próstata de baixo grau e um aumento global de 43% no risco de todos os cânceres da próstata.
O aumento do risco para o câncer de próstata de alto grau é importante, pois este tipo de tumor é mais susceptível a ser fatal.
Os resultados confirmam um estudo de 2011, publicado pela mesma equipe de cientistas do Fred Hutch, que relatou uma ligação semelhante entre altas concentrações sanguíneas de DHA e um risco mais do que dobrado de desenvolver câncer de próstata de alto grau. O mais recente estudo também confirma os resultados de um grande estudo europeu.
"A consistência destes resultados sugere que estes ácidos gordos estão envolvidos na tumorigênese do câncer de próstata e as recomendações para aumentar a ingestão de ácido graxo ômega-3 de cadeia longa, principalmente através de suplementação, deve considerar seus riscos potenciais", escreveram os autores.
Um recente estudo publicado no Journal of the American Medical Association também questiona o benefício da suplementação de ômega-3 para doenças cardiovasculares. A análise, que combinou os dados de vinte estudos, não encontrou nenhuma redução na mortalidade por todas as causas, ataques cardíacos ou derrames.
"É importante notar, no entanto, que estes resultados não abordam a questão de saber se o ômega-3 desempenha um papel negativo no prognóstico do câncer de próstata", disse o Dr. Theodore Braskey, autor correspondente e professor assistente de pesquisa na The Ohio State University Comprehensive Cancer Center, que era estagiário de pós-doutorado no Fred Hutch, quando a pesquisa foi conduzida.
O Dr. Alan Kristal, coordenador do estudo, disse que os resultados de ambos os estudos do Fred Hutch foram surpreendentes porque se acredita que os ácidos graxos ômega-3 têm uma série de efeitos positivos para asaúde, com base em suas propriedades anti-inflamatórias. A inflamação desempenha um papel no desenvolvimento e crescimento de muitos tipos de câncer.
Não está claro, a partir deste estudo, por que os altos níveis de ômega-3 aumentam o risco de câncer de próstata, mas a replicação deste achado em dois grandes estudos indica a necessidade de mais investigação sobre os possíveis mecanismos. Um dos efeitos potencialmente nocivos dos ácidos graxos ômega-3 é a sua conversão em compostos que podem causar danos às células e ao DNA e o seu papel na imunossupressão.
Fontes:
NEWS.MED.BR, 2013. Estudo confirma ligação entre altos níveis de ácidos graxos ômega-3 e aumento de até 71% no risco de desenvolver câncer de próstata agressivo. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2013.

sábado, 13 de julho de 2013

DIABETES e o InsuOnLine

Um médico do SUS quer sair de férias, mas não consegue porque no posto de saúde em que trabalha não há outro colega que saiba tratar de pacientes diabéticos que dependem de insulina.
Ele decide, então, treinar um jovem médico. Poderia ser uma história real, mas é o enredo de um game desenvolvido por um médico paranaense, que está na final de uma competição internacional que começa hoje em São Petersburgo, na Rússia.
Fã de jogos como Battlefield, o endocrinologista Leandro Arthur Dieh, 35, desenvolveu o game como tese de doutorado na Faculdades Pequeno Príncipe, de Curitiba (PR). A ideia surgiu a partir de sua experiência na rede pública de saúde.
Milton Doria/Folhapress
O médico Leandro Arthur Dieh, que está desenvolvendo um game para ensinar a aplica insulina em diabéticos
O médico Leandro Arthur Dieh, que está desenvolvendo um game para ensinar a aplica insulina em diabéticos
"Testemunhei a dificuldade que os médicos não especialistas em diabetes têm em lidar com a insulina. Muitos retardam a indicação porque não sabem manejá-la. E quem sofre é o paciente do SUS."
Estudos mostram que só 24% dos diabéticos no país estão bem controlados. O restante corre o risco de desenvolver complicações como cegueira, insuficiência renal e amputações em razão da glicemia descompensada.
Chamado de InsuOnLine, o jogo ensina a aplicação de insulina em diversos perfis de diabéticos. A complexidade dos casos cresce com o passar dos níveis, até atingir situações como a que o paciente usa várias doses de insulina e sofre de hipoglicemia.
Segundo ele, o jogo começou a ser criado no início de 2011 em parceria com Rodrigo Martins de Souza, sócio de uma empresa de Londrina especializada em jogos.
"Nosso desafio foi desenvolver um game para o ensino, mas que também seja divertido. Há muitos simuladores chatíssimos, que as pessoas só jogam obrigadas."
Embora o público-alvo seja médicos do SUS (as medicações e as orientações são voltadas para o que há disponível na rede pública), Dieh reconhece que os profissionais mais velhos terão mais dificuldade em jogar.
Com o game quase pronto, o próximo passo será testá-lo com um grupo de médicos reais: metade deles vai jogar o game, e a outra metade vai assistir a uma palestra ou aula sobre o tema.
"Vamos comparar o aprendizado dos dois grupos sobre o uso de insulina nas situações mais comuns em um posto de saúde", diz Dieh, também professor da Universidade Estadual de Londrina.
O game venceu a edição brasileira da Imagine Cup 2013 na categoria Cidadania Mundial. Isso o credenciou para disputar na final mundial, na Rússia.
O lançamento comercial do jogo está previsto para 2014, quando o médico concluir a tese de doutorado.

sexta-feira, 12 de julho de 2013

TABAGISMO PELO MUNDO

OMS: cigarro causa seis milhões de mortes ao ano

Relatório da OMS mostra que, embora medidas antitabagistas atinjam cada vez mais pessoas, o fumo ainda é a principal causa de mortes evitáveis no mundo

Saúde feminina: Deixar de fumar pode reduzir de forma significativa o risco de morte súbita cardíaca
Cigarro: para OMS, mais países devem adotar medidas antifumo para que a meta de redução do tabagismo em 30% até 2025 possa ser alcançada (Thinkstock)
Apesar do aumento das políticas públicas que visam combater o tabagismo, o cigarro continua sendo a principal causa de mortes evitáveis em todo o mundo. Segundo relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgado nesta quarta-feira, o cigarro causa seis milhões de mortes no mundo por ano, a maioria em países de baixa e média renda. No documento, a OMS alerta que, se essa tendência se mantiver, o número de mortes ligadas ao fumo deve aumentar para oito milhões ao ano em 2030 – e 80% desses óbitos deverão acontecer nos países mais pobres. 
Ainda de acordo com o relatório Global Tobacco Epidemic 2013 (Epidemia Global do Tabaco 2013), acredita-se que o cigarro tenha causado a morte de mais de 100 milhões de pessoas no século XX. "Se não banirmos a publicidade, a promoção e o patrocínio por parte da indústria do tabaco, adolescentes e adultos continuarão a ser atraídos pelo consumo de cigarro por uma indústria cada vez mais agressiva", disse Margaret Chan, diretora-geral da OMS.
O relatório mostrou que medidas de restrição do cigarro — como proibição da publicidade e a realização de campanhas antitabagistas — atingem, hoje, uma em cada três pessoas no mundo, o equivalente a 2,3 bilhões de indivíduos. São 400 milhões de pessoas a mais em comparação com dez anos atrás. No entanto, apesar do avanço, a OMS acredita que para que a meta de redução do tabagismo em 30% até 2025 seja alcançada, mais países devem adotar medidas contra o cigarro.
(Com AFP)

THESSALONIKI, GRÉCIA: CAMPEONATO MUNDIAL DE BASQUETE MASTER

Estou coçando o dedão de Aristóteles.
 Praça de Aristóteles, cidade de Thessaloniki, Grécia: construída em 316 a.C., segunda cidade mais antiga da Europa.
Estou participando do Campeonato Mundial de Basquete, categoria 60+
Foto tirada do alto da White Tower: Golfo Termaico e cidade

JONI e ZEZÉ

MURALHA: MILHARES DE ANOS DE HISTÓRIA

PONTO DE ÔNIBUS: controle de tempo de espera. Igualzinho em casa,não?
ACORDA, BRASIL!

Estávamos aguardando o ônibus da linha 3: chegou EXATAMENTE! no horário!!!!!!!
Euro: 0,80 (não há cobradores)

Zezé aguardando ônibus de turismo, perto da White Tower

Porto de Thessaloniki

Área de bares e restaurantes: centro da cidade

Preservação da história: milhares de anos tem este afresco (Capsis Hotel, Thessaloniki)